sábado, 23 de abril de 2011

Nº48 - Recordações


23 de Abril  de 2011

Hoje ao acordar me deparei com umas das cenas mais inusitadas da minha vida, era sábado de aleluia e eu não estava com minha família, ai me toquei mais ainda o quanto eu necessito deles para sobreviver, o quanto elas me fazem falta no momento de solidão, queria naquele momento estar lá na sala de casa ouvindo as piadas sem graça do meu irmão, as risadas da minha sobrinha e abraçando minha mãe na cozinha enquanto ela preparava o almoço, saudade de sentar a mesa com todos olhar para cada um e dizer o quanto eles são importantes na minha vida.
Nossa como as nossas escolhas fazem diferença, escolhi viver sozinho, escolhi viver a vida, e um dos preços que pago e a saudade, que cada dia que passa fica maior e mais cara, essa saudade que varias e às vezes me fez pensar em desistir, que me faz perguntar há mim mesmo o que eu estava fazendo ali? Mais me contendo nas emoções, me controlo nas recordações, seguro firme nos objetivos e deixo pra traz as tristezas, pois só elas me fazem recuar rumo ao sucesso.
Amanha e páscoa, uma das datas onde mais vou chorar, pois me recordo quando agente sempre acordava sedo pra ver se tinha ao menos uma caixa de bombom nos aguardado escondida lá em cima do armário da cozinha, engraçado por que agente sabia que estava lá, mas fazíamos de conta que não era pra gente só pra ter a surpresa de receber das mãos da  mamãe com um abraço apertado  e um sorriso no  rosto de ter feito a alegria dos  seus filhos  mais uma vez, me recordo  também  de uma pessoa  na  qual vai  ficar  pra sempre na lembrança e nos corações  de mim e de muita gente, uma tia  que  muitas vezes  se colocou  no  lugar de mãe tentando toda forma cuidar e zelar pela felicidades dos seus sobrinho, como  ela mesma dizia  os  seus (mabassos), era com ela se referia as nos gênios  univitelinos, essa  mesma tia que  nos emocionou ao nos deixar depois de uma jornada  de luta  que ate hoje deixa marcas, mais  como  na vida  prefiro ficar apenas com as  boas recordações,  não me entristeço são dessas que vou  me lembrar pra  resto da vida e como sempre nessa páscoa  vou acordar amanha  e lembrar  novamente  daquela caixa de bombom garoto  que ela fazia questão de nos presentear “divide vocês dois, metade pra um e metade pra outro...” eram essas as palavras  que usava, são desses e de muitos outras  gestos  dessa pessoa tão  carinhosa  e que  deixou  tanta saudade pra tanta gente saudades tia Tereza.
Nessa semana santa os momentos de reflexão foram intensos, saiu dela renovado para mais uma etapa da jornada de vida que vem pela frente onde vou ter que ser forte para segurar as lagrimas da saudade e as dores do cansaço. Segundo em frente, mas agora conjugando apenas o verbo vencer, pois e nele que se vou alcançar meu sucesso na longa jornada de minha VIDA VIVIDA.

Nenhum comentário:

Postar um comentário