quinta-feira, 30 de setembro de 2010

N°05 - Tentação

30 de setembro  de 2010.

  Viajando, estou em Contendas do Sincorá ainda sudoeste da Bahia  a 160KM de Vitória da Conquista, junto com  um  grande irmão  construindo  a UJS no  município, mesmo  assim não poderia deixar  de escrever, e  hoje vou  dividir com  vocês umas  das divertidas, cômicas e também apaixonantes histórias desse relacionamento  tão lindo meu  e DELA.
Maio de 2010, clube recreativo de Poções, eu e ELA separados por motivos de força maior, que não vão ser citadas aqui. Final  da garota festa do divino, eu  todo  organizado em um  dia muito feliz  pra mim, o curupira alavancou de vez  e  fomos muito  prestigiados   naquele dia, mas voltando  ao assunto, estava eu todo  organizado numa elegância que só vendo, afinal era uma noite de gala,  pois bem,  quando  olho  pra o  lado  avisto  ELA,  me lembro ate hoje  ela  bem  linda de causa jeans  de salto  e com a camisa preta da ZPA, naquele dia ela não iria desfilar, mesmo assim estava deslumbrante, eu  aqui no notebook fazendo toda a programação do  evento, coloco  pra tocar  “Lua  minha de estacazero”, musica essa que  embalou muitos e muitos momentos de nossa vida, faço isso  apenas pra provocar e ao  olhar  pra ELA vejo  que  deu certo, ela  fez aquela cara de: “nossa  não  acredito”,  estávamos  só  no  começo, o concurso  terminou  Aline Guilherme foi a grande vencedora e em  segundo Rariely  duas pessoas que realmente  mereciam, o Dj começou a tocar a festa estava  boa,   no  meio da festa   ELA   ao  me encontrar me fala umas coisa  que   me mostrou  que  quando   alguém  quer  alguma coisa  e luta  por isso   ate  sua personalidade muda,  ouvi algo  mais ou menos assim: “to  te esperando  no  mesmo  lugar  onde agente  ficou da  ultima vez, vai  pra La agora!”,  “meu Deus!”,  foi  o que eu pensei e  exclamei  comigo, mais  não pensei duas vezes  dei  aquela  malandra disfarçada e fui,  assim que cheguei  logo  atrás  veio ELA,  nossa  me segura  pela gravata  de uma forma  que  queria me engolir, e em um  beijo  louco  mais  uma  vez  nos  entregamos ao   sentimento  que nunca  foi  em  vão, percebi  o quanto   necessitava daquilo, me senti  com se estivesse  voando, melhor dizendo  sempre me  sinto  muito  leve  ao lado dela,  sem contar que éramos observados  por  outros casais   que  no  mesmo  lugar   também  se “pegavam”,  garanto  eu que não no mesmo   sentimento  que  eu e ELA, mais  pra que se  preocupa com isso ne? O que   realmente  importa e que vivemos mais uma vez uma  ardente  paixão, e  que  por  mais longe que  possamos estar um do  outro  sempre    vamos  deixar a paixão falar  mais  alto.
 E assim  ao  voltar pra casa naquele  dia  não deixei  de   mandar   um SMS, e  dormi  feliz  ai sentir  mais uma vez  um  amor tão verdadeiro  que mais  nada importava apenas a nossa felicidade.
 Pra terminar  meu  diário  de viajem  hoje, aqui em  Contendas do Sincorá, digo  que  cada  dia que passa  percebo  que  o espaço que   já era grande  no  meu  coração  ta cada  vez  maior  só esperando  ela voltar.
Mais  um dia  de  muitos dias  sem  ELA.
Foto: Adalberto Meira - Contendas do Sincorá-BA

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

N°04 - Aliança

 Dia 29 de setembro de 2010
Hoje de manha ao retirar algumas coisas da minha bolsa, deixei cair um item que me fez ter ótimas recordações, a “aliança”, poxa  tanta coisa  veio  antes disso  mais acho que um  pedido  que me fizeram  ontem  veio a caráter, afina e uma ótima lembrança que tenho, e hoje  vou compartilhar com  vocês.
  Primeiro  dizer por que da “aliança”,  as vezes chega um  momento  na vida que  você se sente tão ligado  a uma pessoa  que  estar  namorando já  não e  suficiente, daí a razão  pra  esse  compromisso, em segundo  por que tinha que de alguma forma  mostrar pra todos  o quanto  eu a amo  e quanto ELA era importante  pra mim.
Bem chega o dia  acordo bem cedo vou até a floricultura, buscar um lindo buque de rosas, passo  no loja  pra pegar as  “alianças”, chego no colégio todos  que estavam pelo pátio fizeram questão de  ir assistir aula  só  pra assistir  a cena, como  sempre o frio na barriga, mais  levantei a cabeça com  sempre  respirei  fundo e  entrei na sala,  vendo a cara DELA de surpresa, sabia que tinha  atingido meu  objetivo, e vendo  todos na sala   ali  com   olhos brilhando me senti melhor ainda  afinal tinha mostrado pra todo  que nosso  amor não tava pra brincadeira. Chegou a hora de falar, todos  em  silencio. “palavras já não são o bastante  pra expressar  todo meu amor  EU TE AMO”.  E com uma salva de palmas nos  beijamos, mas não acabou  por ai,  ainda tinha  o grande final, chamei ela  para fora da sala para conversarmos, levei ela  para o fundo do colégio, e tirei do bolso  as “alianças”, nossa  foi perfeito olhar  pra ela  e  perguntar: “aceita”,  aquele “sim” foi tudo que eu precisava pra mais uma  vez  ter certeza  que ara com ELA que  ia  ser feliz. Trocamos as “alianças” e num  momento mágico prometemos um  ao outro, nos amarmos cada dia mais.
Um dia perfeito? Uma lembrança prefeita?  Sim,  afinal tudo que  tive com ELA foi  perfeito  e assim  termino  mais um  dia  de muitos dias sem  ELA.

terça-feira, 28 de setembro de 2010

N°03 - Lembraças

28 de setembro de 2010.
                Ontem  foi  mais um dia  que não entendi  nada,  as horas não passavam o dia ficou maior, mais cansativo, fiz minha rotina  e observei  que  muita coisa   tinha mudado, entrei na internet, abri meu ORKUT e a primeira coisa  que  enxergo, foi a visita DELA  no meu  perfil, não posso dizer muita coisa afinal   sei  que  ELA  faz a mesma coisa, tenho certeza que ainda vai demorar muito   pra tirar esses hábitos e vícios  do meu cotidiano que eu tanto  gostava.
                Ontem  ao voltar pra Conquista,  fiz questão de trazer na bolsa algo de muito valor, e acho eu  o que  vai por muito  tempo  fazer  me lembrar de um tempo  bom. e a partir disso   começo   hoje a lembrar e compartilhar com  vocês, grandes momentos vividos com ELA.
                 Poderia  começar  do  dia 8 de outubro de 2008, mas  isso  já tenho  um  dia especial  pra falar  dele. Então  vou  começar  falando  de um  valsa.
                 Tudo começa quando uma amiga minha,  me chama  pra  ser bolo vivo  na festa de 15 anos dela, quando vi o nome DELA na lista  ao lado do meu  me perguntei  quem será essa menina, os ensaios  foram legais  o dia da arrumação que também  ficou  por conta nossa foi  muito divertido, ate que chega o dia. Eu claro  muito  lindo todo  organizado no terno  e gravata, tinha que estar a caráter afinal  a aniversariante  é e sempre será  muito  importante pra mim. Chegada a hora da dança ELA muito nervosa, segura firme  em minha mão, sentindo aquela insegurança tamanha DELA, apertei  firme  a mão dela e disse: “não tenha medo,  vai dar tudo certo confia  em  mim”. Não  sei se   foi  por isso,  mais  que deu certo, isso deu  viu.
                Quando inicio-se a dança reparei  duas coisas, a primeira  que ELA ao olhar pra mim, me  fazia viajar  pra um lugar muito  bom,  e a segunda  que ao me abraçar me embalava no som de  uma  musica  que naquele momento  eu não sabia  do que se tratava,  mas depois de algum tempo   que fui perceber que se tratava de uma nova rosa  no meu jardim.   Foi uma noite muito  boa.
                São dessas  boas lembranças que pra  sempre  vão  tornar  ao meu  dia  feliz e vazio, triste por uma saudade gostosa e alegre  por uma historia feliz.
                E assim  fico, levo, e sigo minha vida, lembrado  de um passado não tão distante e tentando  viver um  presente  que ainda não  esta no  meu alcance. Mais  um  dia  de  muitos dias  sem ELA.
Foto: Alberto Meira - Jacaraci-BA

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

N°02 - Sozinho?

Segunda, 27 de Setembro de 2010
Ontem  foi  horrível, ao perceber que estava sozinho  quis no álcool  tentar de alguma forma aliviar isso . Por  mais que as  últimas experiências  não deram muito  certo, La vai eu  mais uma vez  provar pra mim mesmo que  meu coração  não  agüenta tudo o que parece. Não importa  aonde eu estivesse, olhava pra todos os lados, só pra ter certeza  que ela  não estava do meu  lado. Por que isso? Apenas para não tomar  fortes impactos. Pare e pense comigo já  reparou  que  quanto mais você foge de uma coisa  mais  isso  te persegue, pois é, num momento  ao tentar entrar no stand com que eu  bato de cara? ELA.
Ao terminar  os stands  fui  pra casa,  La  o bicho ficou feio, fui direto  na  em baixo da pia onde se guarda as  bebidas  e sem nem ver o que tinha pegado fiz algo pra tomar, olha que tava boa  viu. Sem imaginar o que  tava por vim  por ai, ao sair de casa  a primeira coisa que vejo  La no  horizonte? Uma lua, mais não era qualquer lua,  ela estava linda como a muito tempo não via, sem perder tempo voltamos ao colégio.
La estava eu, com a  pior combinação já criada pelo homem: pinga, pagode e Adalberto,  mesmo sabendo que  já estava  bem  perto  do meu  limite, não estava nem  pensando em parar, pelo contrario o céu era o limite pra mim. Pra piorar as coisas  fui tentar provar pra mim  mesmo  que poderias conviver com aquilo, irônico da minha parte achar que poderia ficar nomal do lado DELA,  mesmo ali  rindo e dançando, não  consegui tirar o olho  DELA, olhava  de outra forma   um olhar de saudade, profundo,  tentava de todas as formas   me mostrar bem, ao perceber  que tava  começando a piorar  me viro  pra disfarçar o desconforto que sentia no  peito, encontro  PRETO um amigo irmão  que também estava ali,  me vigiando,  me apoio  nele  e o peço que me tire dali. Longe dali, respirei fundo pra  me recuperar mas  sabia que não ia ser fácil, me  abaixei novamente  respirei  e num impulso voltei  pra festa, a coisa tendia em piorar, não estava bem  e  disfarçava com risos  e passos leves de dança  que estava  bem, quando estava pra cair, desta vez  pra valer, senti uma dor  enorme no  peito, que foi aliviada  pelo um toque de mão. ELA  pegou na minha mão e me chamou  pra conversar, tenho que admitir  que não  sei como atravessei aquela quadra  naquele momento,  ao sair da confusão ELA  me pergunta  o que  eu queria falar com ela, sem entender que aquilo ali era uma desculpa  pra  estar perto de  mim, disse a ELA que  nada,  não  avia falado nada, pedi pra sentar,  pois a coisa apertou  o coração acelerou de tal forma que não tava dando  pra  segurar, o medo  foi tão grande que  pedi  pra   ELA chamar PRETO, pois a dor tinha piorado e muito. ELA  não o encontrou  mais trouxe mais  um amigo  pra mim ajudar, amigo esse que tenho que aproveitar pra agradecer por tanta quebrada de galho que já fez por mim “brigado”. “levem-me pra casa”, foi  o que pedi a eles, no caminho  PRETO  ali  me acompanhou,  mais tenho que admitir o que   realmente eu estava sentindo era o  abraço DELA, toda a vez que  me acariciava e  me perguntava se  já estava melhor, voltei  minha atenção pra ELA, por que  era o momento  onde eu  estava  mais perto DELA desde muito tempo. Ao chegar em casa  parei na frente  e quando  olho  um mutirão de gente vem  vindo pra saber se realmente eu tinha morrido (RSRSRS), que nada  vieram  por que  se preocupam comigo,  depois de algum tempo, quem  tinha que  ir  foi-se  embora  e eu  ali, me segurando para   mais uma vez  não mergulhar num sentimento  profundo que  sentia e sinto  por ELA,  por muitas vezes  eu  ouvi  um “eu te amo”, que  entrava  em  mim de uma forma que a única coisa que podia faze naquele momento  era chorar e foi o que eu fiz, chorei  e  ao enxugar minhas  lagrimas  sentia que era com ela   que   meu coração  pedia  mas me segurei  por que  os últimos acontecimentos  só me mostraram que  pra gente  um dia  poder  ser feliz,  vamos ter que sofrer muito  e esperar o momento certo  pra poder ser feliz.
Pra terminar essa dia  olhei  pra lua  que  nos  presenteava com  uma  beleza intensa, e disse a ELA: “que não  importa aonde, nem  quando, você e  pra sempre”.
 E assim acaba o segundo dia  de muitos  dias sem ELA.

domingo, 26 de setembro de 2010

N°01 - Um Começo

O  Primeiro dia...
Começa aqui uma nova jornada de vida, onde apenas a solidão me acompanha, onde vivo  só, sem ninguém, na redundância do sozinho.
Solidão? Essa sim, ira me acompanha por muito tempo, a cada vez que eu olha e recordar chorando de um  tempo  bom  que vivi com ELA.
Ao me ver rindo, vou estar tentando esconder o que realmente dentro de mim me destrói,  vivo   no  infelicidade da certeza que  acabou, mas com coragem de  dizer  que    sigo em  frente.
Ontem algo  me  ensinou que, nem sempre o pra sempre  e pra sempre, mas  ao mesmo  tempo  me ajudou a entender que  na vida tem dessas coisas, agente aprende com tudo,  ate  mesmo  com a dor. Dor? Isso mesmo a dor traz uma reflexão e com tudo acontecendo ao mesmo tempo deixa agente meio perdido nas idéia,sem contar que ontem quando  umas das rosas mais bonitas do meu jardim  caiu passou um  filme em  minha cabeça, lembrei de quando numa dança  me  encantei,  num olhar  me apaixonei,  e  uma vida eu vivi.
 Essa mesma solidão agora se transformar em coragem por que pra mim a vida tem que continuar, claro que faltando um pedaço muito grande, perdi nessa ultima pancada da vida  um  membro muito importante, ele se desprendeu de mim  mais não  ficou  no caminho, ainda esta vinculado a mim  por um fio  muito fino  de  amor,  um dia  quem sabe com  tanto  vai e vem   Ela se separe  completamente de mim.
 De manha ao acordar nem precisei levantar para me tocar que realmente tinha acabado, senti uma coisa tão estranha, ao que por mais que eu tentasse não conseguiria nunca, me abracei, e sozinho por muito tempo nada vinha na minha cabeça a não ser as coisas boas vividas com ELA.  E nesse momento percebi que nada e vivido em vão, nada acontece por acaso foram 1 ano, 11 meses, 2 semanas 4 dias  e aproximadamente 16 horas, vivendo e amando ELA.
 Pra terminar de falar desse dia, digo que ao escrever essa pagina descubro duas coisas: a primeira, que quero esquecer esse dia por toda aminha vida, e a segunda e que esse dia vai ser inesquecível afinal e o primeiro dia de muitos dias sem ELA.


Foto: Adalberto Meira - Poções-BA