sábado, 29 de janeiro de 2011

N°34 - Incompleto


29 de Janeiro de 2011

Ta ai  hoje  vou  falar de alguém especial, não mais que especial, melhor  ainda, indispensável, e acho que indispensável e a palavra certa, indispensável  pra minha sobrevivência,e  assim que o  coloco em  minha vida.
            Um amor que nasceu a  muito tempo  atrás, e  a cada dia que passa  se torna mais e mais  indispensável  pra mim,  um amor  que flora  de uma forma que ninguém  nunca mesmo  que tente  vai  poder explicar.
            Tudo começa  a  uns 21 anos  atras pra ser mais especifico no  dia 22 de janeiro de 1990, quando nascem  no hospital das clinicas  em São Paulo capital  uma  dupla de irmãos que  realmente sabem  fazer  valer a palavra irmandade, que pra gente  que  significados  que vão  muito  alem de poucas palavras existentes  em dicionários, pra gente  não importa   aonde nem quando, somos pau pra toda a obra, somos  o positivo e o  negativos por que os  opostos se atraem, somos  unha e carne afinal somos IRMÃOS.
             Crescemos juntos  vivemos juntos  passamos por  muita coisa juntos, sofremos demais  pelas mesmas coisas risos de felicidades, choros  por  grandes conquistas, muitas mais  muitas  conquistas. Antes de tudo  somos família, antes de tudo  somos amigos, antes de tudo  somos apenas um.
             Mas no  ultimo  dia  22  de janeiro  passei  por uma barra,  contei  horas  minutos e  segundos  esperando  o  dia 22  chegar, pra só  assim  fechar  os olhos e desejar feliz aniversario pra ele, por que  sei  que  do outro  lado do  pensamento  que  vive   em  constante conexão, ele  fazia o mesmo  no exato  momento, senti  uma coisa boa  as lagrimas foram inevitáveis,  me deitei  ali mesmo  no  meio  do alojamento  e  foi ali  que por muito tempo nada  eu  ouvia,  me fechei pra dentro de mim  e  me  senti conectado a ele  como  a muito  tempo  não sentia,  nesse momentos as  lagrimas que  tentava de todas as formas esconder e disfarçar foram tona, me senti  abraçado, e  mais uma  vez provei  pra mim que realmente tenho  um  parte de mim que e  meu irmão, a nada mais era necessário naquele  momento só fiz de provar  pra mi  que o  que agente sempre diz em nossas  despedidas  e a mais  pura  e extrema verdade  “irmão  aonde que  quer que eu vá  você sempre vai estar comigo”. E assim  termino essa passagem da minha vida onde os extremos da emoção  me fizeram m ais uma vez  me sentir  vivo, e pronto  pra tudo  principalmente  pra  amar a vida que levo e levar a vida que  amo essa  vida  tão  linda essa  vida tão fantástica essa VIDA VIVIDA.

sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

N°33 - Emoções.

28 de Janeiro de 2011

            Acho que todos já perceberam  a drástica mudança que  vim tendo ao longo desses meses , a bienal  de cultura da UNE foi pra mim uma prova que por mais que  eu tenha crescido e evoluído muito  minhas  formações  e minhas  opiniões, ainda tenho  muito que  crescer, experiências  marcantes  fizeram  deste evento um dos melhores da minha vida, primeiro  que  foi o primeiro representando a  delegação do estado de Goiás  que de  braços  aberto  me acolheu e  me  mostrou  que militar  vai muito  alem de tudo que eu  já  tinha  vivido.
             Não posso de forma alguma deixar  de lembrar aqui  de uma loira que  me  deu muito  trabalho,  aquele  tarde  que  ela torceu o pé  e  foi  parar no  hospital, não vão sair por tão cedo  das  minhas lembranças,as piadas, as convenças, os sustos, a cadeira de rodas descontrolada, o medico estúpido e bruto, da sala de raio x, da volta pro  alojamento   e  muitas outras coisas  afinal pra quem no  inicio  do  dia  era  um  mero desconhecido,  fico feliz e ter terminado aquele dia  tendo  mais uma  amizade  pra  levar   no resto da vida. Então  obrigado  e o mínimo  que posso  fazer  por tudo  que  ela  fez  por mim.
             Também  descobri que  o importante  mesmo  e estar com  os amigos, não  importa quanto tempo nem o que tenha  acontecido  eles sempre estarão lá  pra ajudar, ou  pra  dizer  eu avisei. Percebi  que  meu  anjo vermelho  realmente  esteve sempre comigo  mesmo que  de longe, percebi que  força de vontade não e tudo, se não  vim  acompanhada com disciplina, formação e dedicação, e  tenho  certeza que aprendi isso da melhor  forma possível, aprendi na pratica.
            E assim  que vivo, e assim  que faço  a  vida  acontecer a minha vida  vivada.

terça-feira, 11 de janeiro de 2011

N°32 - Despedida.

11 de Janeiro de 2011.

                Agora e pra valer, o que faltava não falta mais, tudo que me impedia de ir ficou para trás. Embarco hoje numa viagem na qual espero ser muito especial, ao sair de casa hoje e pedir a benção da minha mãe, sentirei um enorme aperto dentro de mim ou abraçar Alberto estarei me separando de alguém que e parte de mim, ao falar com meu pai ouvirei apenas uma boa viagem e interpretarei como uma boa sorte meu filho que tudo de certo na sua vida, afinal ele e meu pai e isso foi o que ele sempre desejou pra mim, claro usando sua forma rude de falar ele guia meus caminhos aonde queres que vá, ao embarcar vou transformar tudo que e saudade em lembranças, e as mesmas vou carregar comigo aonde quer que vá.
                O tempo que cura tudo desta vez vai ter muito trabalho, uma ferida exposta na qual repouso não vai curar, no então vou fazer do meu dia o mais sobrecarregado possível ate me acostumar com a ideia que estou longe, mais acho que não será tão difícil como temia, pelo contrario muita tarefa, sem contar com os grandes amigos que já me esperam La de braços abertos pra só esperando minha chegada para que possa vim a somar com os grandes militantes do estado de Goiás e que juntos mais uma vez possamos debater, discutir, refazer e transformar a realidade das nossas cidades dos nossos estados e claro do nosso país.
Obrigado a todos que ate agora me apoiam em minha decisão, agradecer a todos que não medem esforços pra minha ida, e também aproveitar e pedir desculpas pras pessoas nas quais não pude atender saiba que essas não vão ficar para traz vão comigo onde quer que u esteja e serão pra sempre amadas mesmo que distantes, pois estas pessoas fizeram de momentos pequenos e curtos momentos inesquecíveis momentos nos quais me senti feliz, realizado e confiante como há muito tempo não me sentia, há vocês um muito obrigado.
Vou continuar na luta sendo o mesmo Dal, o mesmo Beto, o mesmo Adalberto, o mesmo amigo, o mesmo Primo, o mesmo irmão, mesmo filho e sem duvida o mesmo jovem socialista brasileiro, o mesmo comunista brasileiro, por que se o presente e de luta esse sim certamente me pertence.

terça-feira, 4 de janeiro de 2011

N°31 - Como nosso pais.

04 de Janeiro de 2011

                Falamos tanto, em muitos casos dessas duas pessoas, em outros apenas uma, ao chamamo-los muitas vezes de incompreensíveis, desejamos o mais rápido possível poder se viver de tudo isso, não importa quantos, que cor, situação financeira, tempo de convivência, pais são pais em quaisquer circunstâncias.
                Os conflitos muitas vezes acontecem do nada, quando paramos pra ver já estamos em meio a uma grande bola de neve, isso e chamado muitas vezes “Choque de Épocas”, eu tenho e convivo com isso, meu pai nunca foi o pai parceiro e sempre presente, que resolve tudo na base da conversa, afinal a palavra dele e a ultima e ponto final, encontramos muitos casos parecidos na sociedade, mas cabe a nós jovens não deixarmos nunca que essa repentinas discussões se tornem definitivas separações, cabe a nós analisaremos o fato e concluir que ao abaixar a cabeça e não revidar, não estará sendo fraco, pelo contrario estaremos mostrando que temos consciência de tudo que já passamos pra chagar aonde chegamos, que o autocontrole vale muito mais do que muita força, que a razão sempre vai existir mesmo que mesmo que no momento não seja levada em conta, nossa diferença vai ser feita quando estivermos do mesmo lado que hoje e vivido por eles.
                 A compreensão vem de cada um, cada caso e um caso, mais a solução felizmente e universal, “a paciência”. Hoje decide falar sobre isso por que há poucos instantes atrás, me vi a ponto de perder a razão, deixar a raiva existir antes de tudo, mais pro nós comunistas que acordamos todos os dias sem perder a alegria de viver e participamos de tantas mudanças importantes e fundamentais para todos, não vamos deixar que meras brigas, e insignificantes discorçoes manche, um glorioso passado e um futuro que segue a mesma linha de pensamento, vamos deixar toda essa raiva para ser aplicada nas ruas, nos discursos, nas intervenções, nas lutas, por que e nós fazemos de melhor e isso que eu faço de melhor e isso que eu aprendi a fazer, e isso que vou fazer por toda a minha vida. Então um viva as lutas, um viva glórias, um viva a meus professores, um viva a meus grandes amigos, um viva a minha família e um viva a Meus Pais, por que sem eles não estaria nem aqui pra terminar de escrever.

segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

N°30 - Desacreditado.

03 de Janeiro de 2011

                Um dia, atormentado com tantas decepções, ele escrevi com letras bem grandes na porta do seu coração “proibida a entrada do AMOR”, mais não tem jeito mesmo, o amor e um sentimento  tão forte que não importa quantas portas estejam trancados, quantos cadeados estejam fechados, o amor esse sim sempre arruma um jeitinho pra entrar.
Nesses últimos dias voltei a fazer coisas que há certo tempo não vinha a minha cabeça, voltei a explorar meus sentimentos, voltei a me senti bem, a apreciar uma boa musica, a fazer bobagens a fim de extrair apenas um lindo e sincero sorriso. São destas e de muitas outras  coisas que hoje posso dizer que meu coração ta pronto pra amar de novo, claro que muitos escudos ainda o protegem, mais pelo menos boa parte dos cadeados que me trancavam em minha própria solidão foram abertos  com um leve toque de doçura vinda de uma pessoa que já me faz muito feliz.
De quem eu estou falando? Todos vocês já devem saber que isso não vai ser dito, afinal em meus textos por mais que não os identifico com “nomes”, eles tem destinos certo e sempre atingem a pessoas certas, então se sinta a vontade pra se sentir “parte dele”.
Não garanto que meu futuro vai ser ao lado dela, afinal tanta coisa esta acontecendo em minha vida, a cada dia ele toma proporções tão diferentes, um dia eu estou aqui, outro dia posso estar tão longe, mas se e assim que estou me sentindo bem, o que posso fazer? A mesma saudade que me mata e muitas vezes me leva a uma profunda solidão, e a que me faz sentir cada dia mais vivo e pronto para tudo e todos.
E assim vou continuar vivendo com uma incerteza do futuro e uma certeza de um grande sucesso. Vou viver e deixar a vida me levar, com grandes amores, maravilhosas  aventuras e muita saudades de tudo que mês fez e faz  tão bem.