sábado, 23 de abril de 2011

Nº48 - Recordações


23 de Abril  de 2011

Hoje ao acordar me deparei com umas das cenas mais inusitadas da minha vida, era sábado de aleluia e eu não estava com minha família, ai me toquei mais ainda o quanto eu necessito deles para sobreviver, o quanto elas me fazem falta no momento de solidão, queria naquele momento estar lá na sala de casa ouvindo as piadas sem graça do meu irmão, as risadas da minha sobrinha e abraçando minha mãe na cozinha enquanto ela preparava o almoço, saudade de sentar a mesa com todos olhar para cada um e dizer o quanto eles são importantes na minha vida.
Nossa como as nossas escolhas fazem diferença, escolhi viver sozinho, escolhi viver a vida, e um dos preços que pago e a saudade, que cada dia que passa fica maior e mais cara, essa saudade que varias e às vezes me fez pensar em desistir, que me faz perguntar há mim mesmo o que eu estava fazendo ali? Mais me contendo nas emoções, me controlo nas recordações, seguro firme nos objetivos e deixo pra traz as tristezas, pois só elas me fazem recuar rumo ao sucesso.
Amanha e páscoa, uma das datas onde mais vou chorar, pois me recordo quando agente sempre acordava sedo pra ver se tinha ao menos uma caixa de bombom nos aguardado escondida lá em cima do armário da cozinha, engraçado por que agente sabia que estava lá, mas fazíamos de conta que não era pra gente só pra ter a surpresa de receber das mãos da  mamãe com um abraço apertado  e um sorriso no  rosto de ter feito a alegria dos  seus filhos  mais uma vez, me recordo  também  de uma pessoa  na  qual vai  ficar  pra sempre na lembrança e nos corações  de mim e de muita gente, uma tia  que  muitas vezes  se colocou  no  lugar de mãe tentando toda forma cuidar e zelar pela felicidades dos seus sobrinho, como  ela mesma dizia  os  seus (mabassos), era com ela se referia as nos gênios  univitelinos, essa  mesma tia que  nos emocionou ao nos deixar depois de uma jornada  de luta  que ate hoje deixa marcas, mais  como  na vida  prefiro ficar apenas com as  boas recordações,  não me entristeço são dessas que vou  me lembrar pra  resto da vida e como sempre nessa páscoa  vou acordar amanha  e lembrar  novamente  daquela caixa de bombom garoto  que ela fazia questão de nos presentear “divide vocês dois, metade pra um e metade pra outro...” eram essas as palavras  que usava, são desses e de muitos outras  gestos  dessa pessoa tão  carinhosa  e que  deixou  tanta saudade pra tanta gente saudades tia Tereza.
Nessa semana santa os momentos de reflexão foram intensos, saiu dela renovado para mais uma etapa da jornada de vida que vem pela frente onde vou ter que ser forte para segurar as lagrimas da saudade e as dores do cansaço. Segundo em frente, mas agora conjugando apenas o verbo vencer, pois e nele que se vou alcançar meu sucesso na longa jornada de minha VIDA VIVIDA.

segunda-feira, 11 de abril de 2011

Nº47 - Sentimento inDefinido

11 de Abril de 2011

                Como há muito tempo não fazia, hoje vim falar de algo que por mais que eu negue ainda faz esquentar um coração que na maioria do tempo encontra-se gelado. Antes disso vou falar o porquê de escrever novamente sobre isso, afinal estou indo de contra a muita coisa que já disse no blog, coisas que disse que não iria fazer novamente. Quero que entendam que a necessidade e tamanha, só assim, só escrevendo que consigo muitas vezes, se não em todas, explicar as coisas que acontecem na minha vida, as quais EU sou o mais carente de explicação.
                Passei a viver na duvida, duvida de um sentimento, um sentimento confuso que me intriga, seja por uma pergunta, por uma frase, uma recordação daquelas que vem de manhã ao acordar e te deixa horas preso ali rindo sozinho, são essas e outras coisas que me levam a essa duvida, o que realmente estou sentindo? Para onde esse sentimento vai me levar? Ele e bom para mim ou não? Como vou resolver isso?
                Tentei de todas as formas identificar esse tal sentimento, porém é muito difícil, me arrisco até fazer uma comparação, comparo esta situação como ter que responder uma prova optativa sobre minha vida, onde para todas as perguntas que acabei de citar existem várias alternativas, mas apenas uma correta e o medo de marcar a alternativa errada que me leva a carregar esta prova com muitas questões em branco.Uma prova onde eu não posso colar, onde o livro a ser estudado é o livro da minha vida, onde marcar uma alternativa errada pode mudar uma vida para sempre. Mas acho que dou conta de responder essa prova, afinal ela fala da minha vida e ninguém a conhece mais do que EU.
                Tentando responder as questões uma em especial e necessária para responder todas as outras, “o que realmente estou sentindo?” Dentre as alternativas estão dor, saudade, arrependimento, esperança e amor. De cara posso descartar duas alternativas a dor e o arrependimento, pois estes, garanto que não são, primeiro por que como vocês todos sabem meu lema e: “não me arrependo de nada que fiz ou faço sou convicto de minhas escolhas, sejam elas boas ou não”, e a segunda que não sinto dor não, por isso recentemente me dei conta que só guardo lembranças boas e que dor não tem espaço em minha vida não nesse momento.
Mas ainda tenho três alternativas que me intrigam e me deixam sem resposta.             Nossa! Estou vendo que esse post se caminha para um final sem solução, será? Não, acho que não, não dessa vez, decidir quebrar as regras da prova, afinal elas foram feitas para serem quebradas, vou optar por marcar as três alternativas restantes, a saudade, a esperança e o amor, com uma explicação lógica, sinto saudade de quem me faz bem e tenho esperança de mais uma vez poder desfrutar de um amor.
                Com isso termino podendo responder facilmente as outras perguntas, esse sentimento vai me levar para felicidade, ele é muito bom para mim e eu sou vou resolver isso vivendo a minha VIDA VIVIDA.

sábado, 2 de abril de 2011

N°46 - Heróis do dia-a-dia


02 de Abril de 2011

                Recordo-me como se fosse ontem um dia que chorando e meio perturbado das ideias entrei pra o quarto e bati a porta sem falar com ninguém, o dia tinha sido muito ruim parecia que tudo decidiu dar errado ao mesmo tempo, um amor se foi, a vida não me agradava e os amigos não estavam por perto não naquele momento, corria cego para a beira de um abismo sem ninguém para me segurar nem tão pouco para dizer que deveria parar, eu estava SOZINHO.
                Sabe aquela sensação de estar sozinho no mundo, de que todos são inatingíveis e que desta vez e o fim? Pois bem, exatamente o que vinha em minha cabeça naquele momento. Equivoco meu achar isso, não me dei conta que minha vida e repleta de pessoas nas quais não são necessários gritos de socorro, isso acontece de imediato os heróis da minha vida entram em ação na hora.
                Computador ligado e eu no canto do quarto escuro, tentando achar alguma forma um de me recuperar daquilo, com os olhos fechados uma musica começa a tocar: “mesmo fraco em pedaços eu preciso te dizer obrigado por estar aqui”, nesse momento ELE se sentou do meu lado em silêncio, afinal aquele momento dispensava qualquer palavra. Foi assim sem dizer nada que ELE ficou ali por horas ao meu lado, era o que eu precisava naquele momento tinha encontrado novamente o meu norte, meu chão onde todos os dias passos largos e firmes são dados rumo ao destino muitas vezes incerto, mas certamente feliz.
                E tudo isso se fez mais uma vez verdade na ultima quarta feira, quando abri minha caixa de recados do Orkut e lá estava destacado em meio a muitos, nem precisei terminar de ler pra saber da dimensão que se tratava, aquela mesma musica, escrita com letras grandes, para muitos apenas uma musica qualquer mais para mim um pedido de socorro, um grito aflito de quem precisa de mim mais que nunca.
                E agora o que fazer? Nem precisei pensar muito para respondê-lo, com clareza disse a ELE que nossa reciprocidade vai alem da distancia, que da mesma forma que ELE faz da sua vida um pilar de sustentação pra a minha e não vai ser preciso vestir fantasias de heróis para ajuda-lo, ELE sabe o quanto e importante pra mim, e que não vou medir esforços fazer da nossa irmandade o que ele necessita para enfrentar todas as dificuldades, afinal e dele que tiro os grandes ensinamentos, as melhores experiências e os melhores momentos dessa minha VIDA tão fantástica, dessa minha VIDA tão VIVIDA.