sexta-feira, 12 de abril de 2013

N°78 - Recordar e Viver.


Vou lembrar.... Sim vou lembrar pausadamente de uma SMS ao acordar de uma careta feita juntamente com um fechar de olhos e um gostoso “eu te amo”, vou recordar por muito tempo se não pra vida toda de todo os momentos bons vividos com ela, de todos os colos,  dos abraços, de acordar  no meio da tarde, de noite e de madrugada  pra abraça-la pois e assim  que ela gostava “me abraça” assim ela falava.
Vou lembrar.... Sim vou lembrar pausadamente pra ser lento e demorado e pra meu sorriso de canto de boca e minha lagrima aconteçam devagar, que eu sinta um frio na barriga e uma vontade de gritar, que cada momento em silêncio seja por necessidade de lembrar dela, que o silêncio aconteça  por ela.
Vou chorar, reclamar, gritar, me irritar, me chatear, me confundir, chorar de novo e no final entender e aceitar, afinal o que era realmente importante aconteceu, sentimos um pelo outro tudo que poderíamos sentir  na  exata medida necessária, e se oque vamos sentir de agora pra frente só  vai servir pra provar e comprovar isso.
As musicas, os textos, as fotos, os amigos, tudo fica ligado ate que um dia do nada vamos acordar e não vai mais doer, pode ser manha, daqui um mês, daqui um dia, um ano, mais vai  um  dia vai, enquanto isso, vou lembrar, vou chorar, reclamar, gritar, me irritar, me chatear por que  sinto, por  que vivo, por acreditei que ainda poderia existir uma Vida linda, emocionante, carinhosa, atenciosa, amigável, parceira, fiel e  sem duvida Vivida há dois.

Nº 77 - Sincero?


Curioso com tudo muda a todo instante, como toda palavra tem seu poder, e toda ação sua reação, rescrevo esses texto, sim RESCREVO! Ontem ele estava pronto, mais ontem também recebi uma SMS que me fez repensar e reescreve-lo, então como sempre se sintam a vontade pra de alguma forma me entender, pois não escrevo pra mi escrevo pra outros.
Se e com palavras que revelo todo o meu sentimento hoje não vai ser diferente, me sinto mal, nos últimos dias, acontecimentos simultâneos prejudicaram muito oque eu achava uma vida começando a entrar em plumo. Diferentes de outras vezes, não vou chamar tais acontecimentos de quedas, nem tropeços por que por incrível que pareça não fui responsável por nenhum deles, mas como já e de costume todos me afetam, mais interessante ainda e que mesmo com muita coisa ruim  acontecendo, não estou com medo, nem preocupado, minha alto confiança  nunca foi tão grande, acreditar que sou capaz  e uma coisa fácil pra mim hoje. 
Abalado? Sim estou abalado com tudo, não e fácil, perde uma amor, um emprego, adiar uma planejamento de meses, se afastas de amigos, brigar com irmão, viajar por necessidade e não por opção, tudo isso abala sim agente de uma forma que se abraçar e chorar querendo alguém especial por perto e só questão de acordar no meio da noite, fato esse inevitável, nesses momentos só o próprio choro te acalma e tranquiliza só seu amor próprio te traz de volta, ti faz sentir toda essa coragem que citei acima, o meu amor próprio me faz sentir bem retira de mim uma saudade que não quero, mesmo que no final das contas essa mesma saudade seja grande de um “tatãozão” e que o amor próprio não ajude tanto assim.
Ser sincero com oque se sente e o primeiro passo para o amor próprio, pois amar a si mesmo  nada mais e do que ser sincero consigo mesmo, fazendo isso você pode acreditar, fazer e transformar tudo.
Ao ser sincero com meu sentimento digo a mim que ainda a amo, e que erro ao tentar achar em outras pessoas oque que só encontro nela, erro ao tentar paga-la da vida como um arquivo de computador, erro achar que lembranças tão boas e sentimentos tão lindos vão embora assim com o vento. Pra ser sincero comigo também encaro a verdade dizendo que meu amor próprio me valoriza me faz entender que não sou um boneco pra vivar e aceitar crises, confusões, descontentamentos, interpretações e egos, e não pensem que isso vem sendo construído apenas de duas semanas pra cá, se enganam, pra chegar a essas conclusões eu melhorei muito, passei a ouvir, a ver, a sentir, e isso que isso me faz me ser alto confiante com as minhas perspectivas, saber que tentei que não desisti e que ainda sinto.
As lagrimas podem cair, elas vão cair, elas caem diversas vezes, e sempre caíram oque e diferente que agora na maioria das vezes eu tenho o poder de decidir se elas são de tristeza ou de alegria.
E assim e vou continuar sentindo, enxergando, cuidando, amando e claro vivendo essa minha vida que e a mais vivida de todas.