quinta-feira, 8 de novembro de 2012

N° 74 - Sentidos

“Quando eu soltar a minha voz por favor, entenda. Que palavras por palavras eis aqui uma pessoa se entregando...”
Gonzaguinha – Sangrando.
Certo ou errado e uma coisa que varia na minha vida muito, pra mim o certo e aquilo que ti faz bem, o certo pra mim e aquilo que de alguma forma ti traz a felicidade, e aquilo que ti completa, e aquilo que ti traz paz. O certo muitas vezes só e certo pra mim, mais tanto faz á tentei viver de todas as maneiras possíveis, já passei pela fase da bobeira, aquela fase em  que você  não decide nada na sua vida, quem faz isso por você  são  os que estão ao seu redor, passei pela fase do sonhador, aquela que você faz loucuras atrás de um sonho muitas vezes  grande de mais ao nosso alcance, nela as decepções não inevitáveis,  mais vendo pelo lado bom e nela que você coloca o pé no chão e nela que nos damos conta de quem somos e o quanto podemos ser grandes, passei também  pela fase do apaixonado,  olha que nessa fase  eu descobri muitas coisas boas e ruins, além da fase mais demorada não posso deixar de dizer também que e a melhor fase da vida, onde nos entregamos ao sentimento independentemente do que venha em troca,  nessa frase  nos damos conta que realmente  somos  feitos pela metade e ninguém e perfeito o suficiente pra viver sozinho, pra mim melhor fase da  vida, e agora chego numa face que  como disse no  inicio deste texto, o bom e o  mal  e questão de ponto de vista de cada um.
Entro num momento impar da minha vida, onde não me contento com portas fechadas e muito menos com sentimentos que podem me atrasar meus objetivos esses mesmo são certos e focados, ser feliz e o principal, e pra isso necessito me realizar em todos os sentidos, digo todos mesmo.
“A vida me sorri e então, recolho os cacos que deixei no chão, milhares de recordações, transformam tudo em canções, e essa daqui é pra você...”
CPM22 – Irreversível


Talvez essa seja o “erro” ou o “mal” ou que sabe essa  que seja a parte boa disso, afinal  outra coisa  muito  boa dessa fase e o tipo de pessoas  nos quais me relaciono,  deixo que fazer  por fazer, deixo de ser  por ser, passo a escolher pessoas que tenhas  as mesmas qualidades ou  vou ate além, pessoas que estejam na mesma fase que a minha. E isso claro  ti traz pessoas francas e sinceras que  expressam  mesmo que seja em forma de palavras escritas e não faladas a verdade, ti fazer  ver oque você  não vê, pensar 1,2 ou ate 3 vezes antes de fazer novamente.
  “Se a gente lembra só por lembrar, o amor que a gente um dia a gente perdeu, saudade inté que assim é bom, pro cabra se convencer que é feliz sem saber”
Luiz Gonzaga – Que nem Jiló

As decepções e os “erros”, também são inevitáveis, e nesse aspecto não posso de forma alguma ser irônico, pois em toda a construção pra ser forte e consistente e necessário quedas decepções, o único problema e a forma com que isso e feito, hoje por exemplo recebi um e-mail que me mostrou um lado de minha própria historia que eu  nunca enxergaria,  percebi o quanto mau faço as pessoas quando me preocupo apenas com a minha felicidade, pode enxergar que mesmo  que nunca tenha vendido sonhos, e muito menos esperanças, pelo contrario pra viver essa face descrita e necessário pulso firme, e necessário franqueza, e necessário, sutileza e principalmente sinceridade com seus pensamentos e sentimentos eu só sou responsável pelas minhas interpretações e não pelas dos outros,  ocasionando  assim  um desconforto, um incomodo uma falha.

Mais como todo e aprendizado, e tudo e uma fase como já dizia uma amiga minha, aproveitei o máximo de cada fase da minha cada uma da sua maneira,  mais chegou a hora de fazer um pouco diferente, que chegou a hora de perceber que não vivo  sozinho  num universo paralelo, que pessoas existem e cotidianamente participam das mudanças da minha vida diretamente ou indiretamente, que  vou ouvir mais, ver muito mais, e falar só o necessário afinal tenho 2 olhos, 2 ouvidos e apenas 1 boca e assim  mais uma vez  tentar viver, ou melhor vou conseguir  viver  dando  importância necessária e reciproca  a quem  me quer bem e me faz bem nessa minha VIDA VIVIDA.