sexta-feira, 30 de agosto de 2013

N° 82 - (...)

Chorar em segredo e sofrer em silêncio, hoje perguntei o que não deveria perguntar, perguntar o que eu já sabia. Mais uma vez venho falar dela, como tantas outras vezes, como tantas outras, nem eu mesmo sei por que vim aqui, nem título eu consegui colocar nesse texto, agora sentado na mesa em frente ao computador, e rodeado de gente, minhas pernas não se movem e meu pensamento está tão longe que fica até difícil tentar escrever. Ela quis ir, ela quis, e diferente de outras vezes também dessa vez ela tá dizendo a verdade, senti isso, senti que era mesmo o fim, sento culpa, raiva, ódio, dor, acho que na verdade só sinto que acabou.
E agora o que escrever?  Falar das coisas boas?  Tentar achar um motivo pra isso ter acontecido? Expressar meu sentimento? Planejar uma vida de agora em diante? Recordar coisas boas seria bom, tentar achar um motivo nem tanto afinal eles sempre levam a erros meus, expressar um sentimento não vai dar, nem eu sei o que e isso, planejar a vida não dá mais, isso eu desisti, planejar e algo que pra mim não dá certo. Se na prova dos 9 ficou os momentos bons eu nem vou muito longe, nem vou dizer aqui como nas ultimas vezes e contar dias, anos horas e minutos, aprendi que a vida não e contada assim, quando contamos o tempo perdemos o mesmo tempo, vamos contar abraços, beijos e olhares pois isso si a gente tem muito.
Deitados no chão do quintal, olhávamos de forma tão gostosa de um para outro, que poderia chover que não sairia dali, as lagrimas desciam apenas com o silencio, por que sempre foi assim trocávamos palavras por olhares, ali deitados também falamos um para o outro longe de tudo, longe dos amigos, longe dos problemas, longe dos erros, das preocupações, transportávamos pra dentro de um mundo nosso. Foda-se o que vão pensar de mim, eu amo mesmo e nunca escondi isso de ninguém, se  no  final de tudo  ainda assim  não deu certo e por que algo aconteceu, e se  isso atrapalhou, e por que  não fomos fortes  o suficientes,  e se  a vontade de tentar acabou  e por que fomos  maduros suficientes também  pra encararmos que acabou, vivi tudo que pude, a aproveitei cada momento, acho que  diferente de outros  esse relacionamento sim daria um  livro  e não pararia  pela  metade, teria início, começo e fim.

Posso até querer ainda conjugar o verbo no presente, mais a gramatica da minha vida me impede, pois o que conjuguei no passado não me deixa mais nem sequer pensar no futuro. Sendo assim não adianta e nem cabem aqui no meio dessa confusão pensar em planos, a ordem do dia e sobreviver, pois e a única coisa que necessito fazer pra continuar tendo uma Vida Vivida.

quarta-feira, 31 de julho de 2013

N°81 - Camaleão

“Rapte-me, adapte-me, capte-me,
Tis up to me
Coração
Ser querer, ser merecer, ser um camaleão
Rapte-me camaleoa
Adapte-me ao seu
Ne me quitte pas l”
(Maria Gadú - Rapte-me, Camaleoa)

Me adaptar a olhares, defeitos, gestos, lugares, momentos, e principalmente pessoas, levar em conta que como nunca foi feito em uma história, hoje realmente entendi que o start foi dado, a mudança foi entendida como necessidade e o entendimento como uma ideia concreta. Nos adaptamos as certezas, nos adaptamos as dúvidas mais ainda, provamos que nos prendemos a pessoas por nos adaptarmos a ela, nos adaptamos por sentir isso como necessário e pertencentes aquilo.
Nem todos os poetas juntos poderiam  de alguma forma expressar eu consolar através de suas músicas, de suas rimas, de seus versos e de suas poesias  de uma forma única e completa  o que vivemos mas  cada  um  tem  seu  momento e cada um tem  como  forma única  o modo de enxergar o  mundo  então  por mais  que as vezes achemos  que  uma dessas formas retrate por completo  o que sentimos  mentimos pra  nos mesmo ao  acreditarmos nisso, por que cada momento e único,  cada vida e particular de seu  ser e ninguém e igual a ninguém, nada e igual a nada. Sentimento se sente, não vê muito menos se descreve, seja ele o amor, seja ela o ódio, mas se existe algo que traduz tudo isso e o olhar, aquele fixo sem cinismo e sem interrupções aquele que sem palavra alguma diz tudo que o poeta e toda sua vida tentou falar.

Camaleão se adapta, e nos mostrar que com o tempo nos tornarmos parte de nossa realidade, não do que fingirmos ser e sim do que somos naquele momento, momento de uma vida que pode se cada dia mais vivida certamente por que a cada dia mais vou inventar o meu próprio pecado e morrer do meu próprio veneno.

sexta-feira, 26 de julho de 2013

N° 80 - 2 anos não são 2 dias...

 Hoje poderia ser um dia feliz, alegre, divertido, como muitos outros, mais não é.  Hoje poderia ser um dia vivido a dois mais não foi, hoje poderia ser tudo mais foi nada, nada por que foi um dia comum, num dia incomum.
                Uma amizade vinda do acaso, um fone de ouvido dividido ou um simples abraço, essas coisas separadas não são nada mas juntas contão uma história, por que depois do acaso, cada abraço era diferente, cada música era diferente, cada dia era diferente. Na  procurar da felicidade, encontrei nos braços dela  um sossego, encontrei  como  já dizia a música  a “calma e a paz que eu mereço”, isso  se fazia possível  não  pelos sms trocamos  no meio da noite,  não  pelos  beijos  roubados  da nada, não pelos  abraços apertados de  horas de duração, isso  se fazia possível  pelo  sentimento, sentimento que  em  meio a tanta coisa ruim foi a única coisa que sobreviveu, ao  tempo, as magoas,  e as feridas,  foram 2 anos de noites sem  dormir  falando  no telefone  ou  esperando ele  mesmo  tocar,  de abraços  apertados ou de solidão  na carência e na falta dele,  dos sorrisos de canto de boca  ou de lagrimas, dos beijos ou a espera dele,  de “Te Amo” e de “Te odeio”, de frases não ditas e de declarações feitas,  de datas comemoradas e  esquecidas,  e certamente  feitos de saudade tanto  do perto quanto do longe.

                Pensando  bem  não foram só 2 anos, pois  nem  que tentamos tudo de novo  não conseguiríamos viver  o que vivemos, pensando  melhor ainda  só  foram 2 anos  por que  conseguimos  viver tudo da forma  que tinha que ser vivido, ou nem tudo, foi magico, foi perfeito como deveria ter sido, e só chegou até aqui  que que ainda existe, só chegou até  aqui  por que  ainda vive, e não importa  qual tempo o  verbo  amar seja conjugado, ele sempre vai existir, mesmo que seja numa lembrança  de um porta retrato, numa música bonita, num texto, numa frase tatuada, num lugar na cidade,  numa roupa,  ou  no  coração,  em  algum  lugar  esse sentimento vai existir. Por que? Por que foram 2 anos e não 2 dias de uma vida mais do que vivida, uma vida sentida e entendida como necessária, EU te amo.

sábado, 22 de junho de 2013

N° 79 - Certezas e confusões...

Sempre me surpreendo com meu cotidiano, sempre quando eu acho que está perfeito acontece algo e leva embora os sorrisos de canto de boca, a felicidade que mesmo momentânea e o que me faz acordar todos os dias e sempre seguir em frente.
Cresci tanto ultimamente, eu não só acho isso, tenho isso convicto dentro de mim, sei que mudei por que me vejo muito melhor em atitudes tão pequenas, e percebi que por ignorância, ou por ser rude demais pra me preocupar comigo mesmo deixava passar tanta coisa. Mudei por que agora me atento aos detalhes, agora eles me fazem ter calma e atenção a qual eu nunca tive direito.
Me pego pensando, quantas vezes necessitamos errar pra aprender que estou errados? Quantas vezes tenho que voltar e fazer tudo de novo pra dar certo? Quando e hora de parar e reconhecer que não vai dar? Me falaram um vez não me recordo quem que “só a gente sabe a hora de parar e mais ninguém”, vou um pouco além desse raciocínio acho que não sabemos a hora de parar mais também só eu sei o que parar.
Tenho como certeza que sempre que usei do meu egocentrismo eu cresci, e fui mais longe, mais também notei que chegava sempre sozinho, ao contrário de quando levei quem eu amo pra perto de mim, mesmo não indo tão longe assim eu ao menos cheguei feliz, a dúvida e? Realmente a meles que vem pra bem?
E tão bom e magico, se transportar para um outro mundo, e não importa onde o silêncio toma conta de você, você sente seu coração pulsar lentamente, a calma vai ti dominando, e tudo que basta e resta a você e sorrir e melhor ainda quando isso acontece não só em um único momento mais em vários num beijo, num abraço num cochilo, no tocar das mãos, e no mais lindo e simples olhar, na verdade tudo e bom e magico quando e feito com amor.
Não sei quando vou entender, nem sei se vou entender algum dia o que sinto, e porque sinto, não sei se vou de alguma forma conseguir reciprocidade nos sentimentos, mais de uma coisa tenho certeza, eu amo e amo muito e provo isso a cada beijo, cada abraço, cada tocar de mãos e cada lindo e simples olhar dessa minha VIDA VIVIDA

sexta-feira, 12 de abril de 2013

N°78 - Recordar e Viver.


Vou lembrar.... Sim vou lembrar pausadamente de uma SMS ao acordar de uma careta feita juntamente com um fechar de olhos e um gostoso “eu te amo”, vou recordar por muito tempo se não pra vida toda de todo os momentos bons vividos com ela, de todos os colos,  dos abraços, de acordar  no meio da tarde, de noite e de madrugada  pra abraça-la pois e assim  que ela gostava “me abraça” assim ela falava.
Vou lembrar.... Sim vou lembrar pausadamente pra ser lento e demorado e pra meu sorriso de canto de boca e minha lagrima aconteçam devagar, que eu sinta um frio na barriga e uma vontade de gritar, que cada momento em silêncio seja por necessidade de lembrar dela, que o silêncio aconteça  por ela.
Vou chorar, reclamar, gritar, me irritar, me chatear, me confundir, chorar de novo e no final entender e aceitar, afinal o que era realmente importante aconteceu, sentimos um pelo outro tudo que poderíamos sentir  na  exata medida necessária, e se oque vamos sentir de agora pra frente só  vai servir pra provar e comprovar isso.
As musicas, os textos, as fotos, os amigos, tudo fica ligado ate que um dia do nada vamos acordar e não vai mais doer, pode ser manha, daqui um mês, daqui um dia, um ano, mais vai  um  dia vai, enquanto isso, vou lembrar, vou chorar, reclamar, gritar, me irritar, me chatear por que  sinto, por  que vivo, por acreditei que ainda poderia existir uma Vida linda, emocionante, carinhosa, atenciosa, amigável, parceira, fiel e  sem duvida Vivida há dois.

Nº 77 - Sincero?


Curioso com tudo muda a todo instante, como toda palavra tem seu poder, e toda ação sua reação, rescrevo esses texto, sim RESCREVO! Ontem ele estava pronto, mais ontem também recebi uma SMS que me fez repensar e reescreve-lo, então como sempre se sintam a vontade pra de alguma forma me entender, pois não escrevo pra mi escrevo pra outros.
Se e com palavras que revelo todo o meu sentimento hoje não vai ser diferente, me sinto mal, nos últimos dias, acontecimentos simultâneos prejudicaram muito oque eu achava uma vida começando a entrar em plumo. Diferentes de outras vezes, não vou chamar tais acontecimentos de quedas, nem tropeços por que por incrível que pareça não fui responsável por nenhum deles, mas como já e de costume todos me afetam, mais interessante ainda e que mesmo com muita coisa ruim  acontecendo, não estou com medo, nem preocupado, minha alto confiança  nunca foi tão grande, acreditar que sou capaz  e uma coisa fácil pra mim hoje. 
Abalado? Sim estou abalado com tudo, não e fácil, perde uma amor, um emprego, adiar uma planejamento de meses, se afastas de amigos, brigar com irmão, viajar por necessidade e não por opção, tudo isso abala sim agente de uma forma que se abraçar e chorar querendo alguém especial por perto e só questão de acordar no meio da noite, fato esse inevitável, nesses momentos só o próprio choro te acalma e tranquiliza só seu amor próprio te traz de volta, ti faz sentir toda essa coragem que citei acima, o meu amor próprio me faz sentir bem retira de mim uma saudade que não quero, mesmo que no final das contas essa mesma saudade seja grande de um “tatãozão” e que o amor próprio não ajude tanto assim.
Ser sincero com oque se sente e o primeiro passo para o amor próprio, pois amar a si mesmo  nada mais e do que ser sincero consigo mesmo, fazendo isso você pode acreditar, fazer e transformar tudo.
Ao ser sincero com meu sentimento digo a mim que ainda a amo, e que erro ao tentar achar em outras pessoas oque que só encontro nela, erro ao tentar paga-la da vida como um arquivo de computador, erro achar que lembranças tão boas e sentimentos tão lindos vão embora assim com o vento. Pra ser sincero comigo também encaro a verdade dizendo que meu amor próprio me valoriza me faz entender que não sou um boneco pra vivar e aceitar crises, confusões, descontentamentos, interpretações e egos, e não pensem que isso vem sendo construído apenas de duas semanas pra cá, se enganam, pra chegar a essas conclusões eu melhorei muito, passei a ouvir, a ver, a sentir, e isso que isso me faz me ser alto confiante com as minhas perspectivas, saber que tentei que não desisti e que ainda sinto.
As lagrimas podem cair, elas vão cair, elas caem diversas vezes, e sempre caíram oque e diferente que agora na maioria das vezes eu tenho o poder de decidir se elas são de tristeza ou de alegria.
E assim e vou continuar sentindo, enxergando, cuidando, amando e claro vivendo essa minha vida que e a mais vivida de todas.

terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

N° 76 - Relato de um dia “incomum”

                Hoje vim aqui mais pra desabafo, ate agora não sei se dou risada ou se ou se fiz erado em não voltar pra casa mais vamos aos fatos.
               Depois de uma noite muito mal dormida, percebi ao olhar no relógio do meu celular que estava super atrasado e por algum motivo inexplicável ele não despertou,  acho que  era um aviso para ficar na cama, era uma tentativa de me ajudar a não passar tamanha raiva, mais não dei ouvidos  e as pressas  me arrumei  e sem mastigar  engoli  um  pão e sai correndo  para  ponto pra pegar o  ônibus, distraído e  meio aéreo entrei  no  primeiro  ônibus que passou  sem  dar conta  que era o errada, achei ate estranho  ele estar vazio, afinal  mesmo atrasado  ainda  estávamos em  horário  de pico. Mais tranquilo por estar no  ônibus  e  ainda por cima  com  um acento  só  pra mim e  ainda com muito  sono  não e pude evitar leves cochiladas, e claro numas dessas  de abrir e fechar os olhos percebi  que  não estava na roa da linha de ônibus  e sim indo pra outro  terminal, ai comigo pareia e pensei a “ta no  inferno? Da ca um abraço”, e segui   com o  meu  cochilo  ate o  terminal “errado”.
                Ao desembarcar  avistei  o ônibus que me levaria  pro correto terminal  já  parado  na plataforma  ai  pensei  “olha o dia começando a dar certo”, ilusão  minha  achar isso  tão cedo  antes mesmo  que eu  pensa-se  em  entrar no  ônibus  uma levada de  gente   surgiu  do  nada, brotaram  do chão  e cairão do  teto, e um  ônibus  vazio  se tornou uma lata de sardinhas,  ai sim  eu  falei  que  “nada poderia piorar”, nessa aprendo a ficar quieto, um  odor desagradável  tomou conta  do  ônibus, pouco depois  QUEBROU, isso mesmo  ele  quebrou, ao descer  do  ônibus quebrado  olhei  pra cima e  falei: “agora chega né”, mais uma vez  eu  falei demais  e  logo após começou a uma chuva  bem  fina mais  e incomoda por que  não tinha abrigo por  perto, minha gargalhada  foi inevitável  nesse  momento, o  outros passageiros  olhavam pra mim sem  entender nada,  ate procurei  câmeras escondidas pois  pensei que era um desses “Reality shows” mas não achei nenhuma.
                Depois de esperar uma eternidade a espera  de outro  ônibus  e chegar em  fim  no  terminal correto, outra agonia esperar o  ônibus  que  me  levaria  a meu destino  final, engraçado  que só  por curiosidade  fui ver a plaquinha de horarias fixada  no ponto do terminal  onde  dizia  que  naquele  horaria  de segunda a sexta passa-se  ônibus seguidamente de 8 a 12min e nos  finais de semana e feriados de 30 a  45min depois de muita espera  juro a  vocês  que olhei  no  calendário do meu  celular  se realmente  não era domingo  pois já  se passava exatos 37 minutos e nada  de ônibus, acho  que  esqueceram de avisar a população que  os dias de funcionamento e seus respectivos horários foram invertidos.

                 Mais com muita luta entro  no  ônibus  e  sento  na cadeira pra mais 10 minutos ate meu  trabalho, e  quando  vou tentar escutar uma musiquinha pra relaxa, meus celular  acusa bateria fraca  e em seguida desliga. Mas nesse ponto  nada  mais me abalava,  podia ate ser assaltado,  ou tomar um  banho  de  lama, mais isso juro  que  só  pensei   por   tudo  que eu  falai  tornou profético  e se concretizou. Enfim cheguei  ao trabalho atrasado, molhado,  enjoado, amarrotado, estressado, sonolento e irritado, respirei  fundo, sentei na cadeira  liguei meu computador , a ao abrir a mochila  percebi  que tinha esquecido algo  que  vai me fazer muito  falta, MINHA MARMITA,  ai  não deu pra aguentar  (%4$#1!?$%#&*)  mais esse e só  um relato de uma dia que ainda não acabou, um  dia que não e exclusivo meu e sim de diversos brasileiros e brasileiras que  vão a luta diariamente e mata não só um  mais dez leões por dia  e só  e mais um  dia  de uma vida que ainda tem  muito  pra acontecer e com fatos como o de hoje  só me prova cada dia mais que e uma Vida Vivida.

sexta-feira, 1 de fevereiro de 2013

N° 75 - Que #Foda!

Que #Foda! E a vida né? Descobri hoje que uma das pessoas mais importantes pra mim vai morar na terra de tão distante. Calma pessoal, ela não vai pro Acre. Mas vai pro Sul. Acho que ela quis ir para um lugar supostamente frio pra simbolizar a falta que ela vai fazer aqui ou para de alguma forma lembrar o quanto ela é importante e o quanto vai ser frio e sem graça sem a presença dela. Tenho certeza que foi isso.


 #Foda vai ser não ouvi os gritos, por que ela não conversa ela grita as indiretas do bem, as orientações e conversas, as críticas sempre bem vidas, por que analisar as pessoas  e com  ela  mesma. Vou sentir falta das ligações que começavam com um “bom dia” bem alto, acompanhados de um “meu lindo” e logo depois a frase: “preparado que mais um trabalhinho”. E não vou sentir falta dela por que isso apenas. Mas por toda a admiração que tenho por ela, pela pessoa que ela é: determinada, brigona, compromissada, astuta, empenhada, inteligente, carinhosa (com quem merece é claro) e acima de tudo amiga. Por  tudo que  ela já me ensinou (ou tentou me ensinar), por ser paciente  comigo  nos quando necessário, por fazer comidinha pra mim e me dar carona no taxi, é que hoje venho aqui, publicamente, ti desejar um bom fevereiro e excelente ano pra ti, nessa nova fase, de novas pessoas, novos desafios, onde a esperança de dias melhores vai ser renovada, onde todo o suor e todo cansaço e em prol de algo maior, em prol na Felicidade.


Queria desejar  sucesso  mais  isso  ela já tem, então  desejo Força, mas essa  ela também  já tem,  então desejo coragem, aff essa  ela de sobra. Então desejo Determinação  nossa pensando bem essa ela também já tem,  então desejo  Paciência  aquela  de Lenine  por isso ela vai necessitar na longa jornada que ela ainda tem pela  frente nessa vida tão linda  nessa VIDA VIVIDA.