sábado, 21 de janeiro de 2012

N°70 - Dia de luto ou dia de Gloria?



               Hoje e dia 22 de janeiro de 2012, ha 22 anos atrás, nasciam na maternidade da UPS prematuros, gêmeos univitelinos, já começamos a vida com uma grade tarefa que era sobreviver, mas essas nos tiraram de letra. Costumávamos dizer quem antes de sair da barriga da minha mãe pegamos firme na mão um do outro e falamos: - “agora e com agente”, e foi assim que essa duas crianças cresceram, uma do lado da outra, uma vivendo a vida da outra, acho que por isso e tão difícil escrever hoje nessa data tão importante, e tão triste por que não me sinto completo, não me sinto feliz, falta algo muito grande em mim, mas quem sabe um dia consiga conviver com essa falta, mais hoje, exatamente hoje provei pra mi que não e possível viver somente com a sua voz em telefonemas, com suas palavras pela internet e sua imagem pelo webcam, necessito dele presente, constante, abraça-lo e sentir um calor, uma paz que só sua presença me faz ter.
                 São tantas recordações boas pra lembrar hoje, mas entre tantas tenho uma como especial, quis dizer muito especial, não, acho que foi a mais especial da minha vida, que se não me engano já retratei aqui mesmo nesse blog. Foi um dia muito ruim, não tinha chão, não tinha oque pensar, nem sabia oque fazer, ao cheguei em casa, sem norte, e encontrei no colo dele um apoio, sem esperar ele pediu licença por um estante e se dirigiu ate o computador e colocou uma musica que dizia  mais ou menos  assim:
“... Mesmo fraco em pedaços
Eu prefiro Te dizer
Obrigado por estar...
Ao Teu lado me refaço
Eu preciso ter Você
Obrigado por estar aqui.”
(Obrigado por estar aqui – Rosa de Saron).

                 Aquele momento entrou em minha cabeça ate hoje, onde chorando nos braços do meu irmão percebi o quanto ele era importante pra mim, o quanto ele sabia de formas simples e só de olhar pra mim e me falar o necessário, e fazer o inesperado, de um jeito e de uma maneira que só ele mesmo pode, consegue e sabe fazer, ficamos ali horas e horas, sem dizer nada, a musica parou e mesmo assim ficamos imóveis, naquele momento éramos apenas um, naquele momento era tudo que eu precisava.
                  Como ele mesmo diz: “historias nossas historias, dias de luto, dias de gloria”. Não sei se hoje se torna um dia de luto ou um da de gloria, acho que os dois, luto porque o dia nunca vai ser o mesmo de estar do lado dele, normalmente a falta dele me faz fazer coisas erradas tentar superar isso só me leva mais momentos tristes e de depressão, mas acho que posso fazer desse dia um dia de gloria, isso por conta de uma ligação, hoje exatamente as 01:11am  depois de tentar varias vezes apertar o botão pra discar o numero dele e não conseguir, mas  num suspiro forte tomei coragem e liguei imediatamente ele me atendeu, e também imediatamente eu chorei ai ouvir antes de qualquer coisa um EU TE AMO, ele sabe me desmontar mesmo (rsrrsr), ouvi tudo que tinha pra ouvir, mais uma coisa me mostrou a importância de ter nascido da mesma mãe, naquele dia 22 de janeiro de 1990 as 15:35pm, ele disse que não iria comemorar essa data queria, por quê? Por que pra ele, só se comemora essa data se for ao meu lado, e que ele vai comemorar em ritmo de festa cada dia que poder me abraçar e estar ao meu lado como se fosse um aniversario por dia, com se oque importasse pra ele não era saber que esta mais velho e sim saber que ainda pode me abraçar, ouvir, e ser feliz por saber que alguém o ama de tal forma que mesmo longe o coração dói, a alma aperta e através de lagrimas demostra o quanto ele e importante pra mim.
                 Obrigado por estar aqui, obrigado por fazer do meu dia um dia triste, um dia feliz, um dia inesquecível, um dia daqueles que como muitos outros vão entrar pra historia nessa minha vida que só e feliz por que tenho você, só e alegre por que tenho você, só e sonhada por tenho você e claro só e a mais VIVIDA de todas que por que e vivida por Você te amo meu irmão Alberto Silva Meira.

Nenhum comentário:

Postar um comentário