segunda-feira, 5 de setembro de 2011

N°62 - O Jeito DELA de Falar de mim...


       Infelizmente nada na minha rotina tem mais graça. São dias que parecem anos. Dói profundamente saber que não vou poder acordar e ouvir o seu “bom dia meu amor” e que nem poderei te tirar da cama cedinho pra um grande dia de luta. Também dói saber que não vou te encontrar no caminho da escola, e que muito menos vai fica passando na porta da minha sala fazendo coraçõezinhos. Fico triste quando penso que voltarei da escola sozinha nesses dias, e que não vou te ouvir dizer que o macarrão que fiz no almoço pra você com todo amor é muito ruim. Rsrs. Que quando chegar a tardezinha, você não virá direto pra minha casa depois do trabalho, e então, não poderei contar mais os minutos. Era fácil programar um final de semana ou feriado, porque éramos duas mentes. Hoje sozinha, não consigo fazer isso. Confesso que tenho medo que não volte. Medo que perceba que seu lugar é ai, ao lado de sua família e amigos.
Já sinto saudades de te ver todo dia. Das perguntas difíceis na qual eram respondias com um beijinho. Das lutas de MMA que assistimos, apesar de no início eu ficar revolta quando não me dava moral pra assistir dois homens se atacando num rinque. Mais como dizem “se não pode vencer um inimigo, junte-se a ele”. De quando me levava pro cinema, e eu sempre ficava com a pipoca media porque não conseguia comer tudo e depois de comer a sua de tamanho grande me ajudava a terminar a minha. De perder pra você no xadrez e de você perder pra mim no truco (Ah, ver você perder pra mim no truco “não tem preço”) Rsrs.
Sempre me disseram que é na ausência que a gente descobre o quanto uma pessoa realmente é importante para nós. E hoje percebo o tamanho da importância que você tem na minha vida. Ao contrário, devo estar louca. Porque tem exatamente 48 minutos que você embarcou e já até escrevi um texto de saudades e só me dei conta agora. E sem mentir, devo dizer que fico a todo instante olhando a tela do celular esperando outro SMS seu ou sinal de vida. Vejo que estou amando.
Afinal, uma “longa história” curtamente oficial (rsrs), nos renderam momentos que valeram por toda uma vida, devido a sua total sinceridade e intensidade. E espero mesmo que continuemos assim.
Minha metade, minha felicidade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário